Léo luta pelo fim da Bandeira Tarifária de energia

Temos em Rondônia as hidrelétricas Santo Antônio em Porto Velho, quarta maior geradora hídrica do país e Jirau localizada no Rio Madeira a 120 quilômetros da capital, a terceira maior hidrelétrica do país. Mesmo com grandes usinas em seu território, Rondônia ainda necessita de melhorias em seu sistema de transmissão de energia, pois ainda é muito comum o rondoniense passar pelo problema de falta de energia elétrica e até mesmo apagões já afetaram nosso estado. As construções das usinas do rio Madeira chegaram para encerrar o problema da falta de energia elétrica, mas não foi o aconteceu e nem houveram quedas no valor da tarifa. As contas de energia utilizam o sistema de “Bandeiras Tarifárias” para sinalizar aos consumidores os custos de geração da energia elétrica. Elas funcionam da seguinte forma:

Bandeira verde: Quando as condições são favoráveis a geração de energia. Na bandeira verde a tarifa não sofre nenhum acréscimo;

Bandeira amarela: Quando as condições para geração de energia são menos favoráveis. Nessa bandeira a tarifa sofre acréscimo de R$ 0,010 para cada quilowatt-hora (kWh) consumidos;

Bandeira vermelha – Patamar 1: Nessa bandeira as condições foram mais custosas para a geração de energia. A tarifa sofre acréscimo de R$ 0,030 para cada quilowatt-hora (kWh) consumidos;

Bandeira vermelha – Patamar 2: Quando as condições são ainda mais custosas de geração. A tarifa sofre então um acréscimo de R$ 0,050 para cada quilowatt-hora (kWh) consumido.

“Rondônia conta com duas usinas, riquezas hídricas, mas ainda assim, pagamos uma das energias elétricas mais caras do Brasil e temos um péssimo fornecimento desse serviço disponível à população. Vamos continuar essa luta em respeito aos contribuintes.”

Desde 2015, o Deputado Léo Moraes tem lutado pela extinção da bandeira tarifária vermelha, que ele considera uma cobrança ilegal, uma vez que o serviço prestado é de péssima qualidade e o estado é produtor de energia. Na época Léo Moraes afirmou: “Levamos a demanda para a Federação das Associações Comerciais e Empresariais de Rondônia (Facer), e propomos uma ação civil pública para o fim da bandeira tarifária.” Léo Moraes viajou para Brasília, foi à sede da Aneel e no Ministério de Minas e Energia e protocolou requerimento para solicitar explicações sobre o valor alto das contas de luz em Rondônia. Para Léo Moraes: “Rondônia conta com duas usinas, riquezas hídricas, mas ainda assim, pagamos uma das energias elétricas mais caras do Brasil e temos um péssimo fornecimento desse serviço disponível à população. Vamos continuar essa luta em respeito aos contribuintes.” Durante o ano de 2017 todos os rondonienses ficaram sem pagar bandeira tarifárias por alguns meses, graças a luta incansável do deputado Léo Moraes para evitar essa tarifa abusiva em nosso estado. Agora a luta de Léo Moraes será em Brasília. Como Deputado Federal ele irá propor a extinção da bandeira vermelha para os consumidores dos estados produtores de energia elétrica. Essa medida irá beneficiar os consumidores domésticos e baixar também o custo de energia para as empresas que podem gerar mais empregos.