Convocação de aprovados em concurso da PM, Civil e Agentes Penitenciários

O problema da segurança pública é sem dúvidas um dos maiores desafios da sociedade brasileira. Não existem soluções mágicas para resolver o problema, é necessária a atuação integrada de vários fatores para resolvê-lo e que funcionem de forma correta. Mas uma coisa é certa: segurança se faz com gente, com servidores empenhados. Por isso desde o início do seu mandato, como Deputado Estadual, Léo Moraes sempre lutou para garantir a convocação dos concursados da segurança pública. Também realizou o estudo da receita e conseguiu a convocação de mais de 1.000 dos aprovados. Sobre a convocação, Léo Moraes acredita que: “para termos o melhor em segurança pública no estado, também precisamos de pessoas suficientes nesses postos. Sabemos que a criminalidade é grande, por isso precisamos remediar antigos problemas e garantir o trabalho imediato desses concursados aptos em servir nossa população”.

“precisamos remediar antigos problemas e garantir o trabalho imediato desses concursados aptos em servir nossa população”

Os Policiais Militares têm papel fundamental para garantir a segurança pública. De acordo com nossa Constituição Federal, no artigo 144, no parágrafo 5º, as duas principais funções da Polícia Militar são: Realizar o policiamento (patrulhamento) ostensivo e preservar a ordem pública. Já a Polícia Civil desempenha diretamente a atividade investigativa, busca de provas e questões de segurança social não imediatas. Ela trabalha pra investigar e solucionar crimes já registrados, sendo essa uma das principais diferenças entre as Polícias Militar e Civil.
Os agentes penitenciários ajudam a manter a ordem, disciplina e vigilância dentro das unidades prisionais, eles auxiliam como escolta armada para audiências judiciais e transferências de presos. Os agentes também realizam revistas pessoais em detentos e visitantes, controle de rebeliões e rondas externas ao redor da unidade prisional. São esses profissionais que garantem a segurança no trabalho de ressocialização dos internos realizados pelos psicólogos, pedagogos e assistentes sociais. São subordinados às Secretarias de Justiças ou Defesa Social, dependendo da nomenclatura de cada estado.